Veja o ranking com as piores linhas de ônibus do Rio de janeiro
São inúmeras as dificuldades encontradas diariamente pelos usuários.
São inúmeras as dificuldades encontradas diariamente pelos usuários.
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 06/02/2020
    Compartilhe:

Quem depende do transporte público no Rio de Janeiro sabe o quanto é difícil utilizar esse serviço na cidade. São inúmeras as dificuldades encontradas diariamente pelos usuários.

Dentre elas:

- infraestrutura precária;

- manutenção aquém do esperado;

- conduta inadequada de funcionários;

- altos valores praticados, que não traduzem a qualidade do serviço prestado.

Visando aprimorar as ações de fiscalização dos serviços oferecidos, a Secretaria Municipal de Transporte (SMTR) divulgou um ranking com as linhas de ônibus da cidade do Rio que tem o maior índice de reclamação entre os usuários.

Consórcio Santa Cruz foi o que recebeu maior número de reclamações dos passageiros, no levantamento.

Os dados são referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2019.

As três linhas mais reclamadas no quesito conduta foram: 

- 006 (Silvestre – Castelo)

- 865 (Pau da Fome – Taquara) e 

- 422 (Grajaú – Cosme Velho).

No que se refere ao serviço: 

- 834 (Largo do Correa – Campo Grande)

- 813 (Manguariba – Santa Cruz) e 

- 301 (Rodoviária – Barra da Tijuca).

Já quanto à conservação dos veículos: 

- 842 (Paciência – Campo Grande)

- 847 (Rio da Prata – Campo Grande) e 

- 006 (Silvestre – Castelo).

As reclamações sobre conduta se referem a situações como a de motorista que não para no ponto, que dirige de forma desatenta, que usa o celular na direção, ou à falta de urbanidade do motorista.

A má conservação engloba bancos rasgados, vidros quebrados, equipamentos inoperantes e mau estado da carroceria, entre outros pontos.

O nível de serviço é uma medição de parâmetros como a escassez de ônibus e a retirada de linhas das ruas.

OPÇÕES

Nesta segunda (03/02), a passagem dos trens da Supervia ficou mais cara. De acordo com decisão publicada no Diário Oficial da última sexta-feira (31/01) , o valor passará de R$ 4,60 para R$ 4,70. O novo valor foi homologado pela Agetransp com base nos contratos de concessão, reajustes anuais das tarifas para os serviços públicos referentes ao exercício 2020.

Outro aumento será o das barcas, mas a partir de 16/02. A tarifa nas linhas ArariboiaPaquetá e Cocotá irá de R$ 6,30 para R$ 6,50.

Comente com o facebook

Publicidade