Um Lugar Silencioso
Crítica do filme Um Lugar Silencioso
Redação Por Redação 05/04/2018
    Compartilhe:

Um Lugar Silencioso imagine um local que foi devastado por uma ameaça que se guia pelos sons, sejam das falas, dos barulhos, você deve caminhar sem sapatos e usar a linguagem dos sinais, para não ser morto, essa é a definição do filme. Com poucos diálogos e feito de uma forma simples, com poucos atores, a atenção aos detalhes e a narrativa prendem o público do início ao fim, pois o suspense em torno de como sobreviver dentro desse epicentro, pois não houve tentativa de fazer um terror barato, mas sim de criar algo inovador, pois sem muitas falas do elenco, a história faz com que todos queiram saber o final.
Quem dirige o filme é John Krasinski(Familia Hollar), que também atua no filme, ao lado de sua esposa na vida real Emily Blunt, Noah Jupe e Millicent Simmonds(atriz
que é surda na vida real). O que torna o filme rico é a simplicidade do roteiro em espalhar informações que completam a história, sem mostrar como tudo começou e o
motivo pelo qual essa família parecem ser os únicos sobreviventes dessa ameaça, isso contando o fato de que há uma mãe grávida, conseguindo não pronunciar uma palavra.

Nota para o filme - 8,5
 

Comente com o facebook

Publicidade