Templos e tumbas do Egito Antigo livres para visitação on-line!
Que tal visitar de casa uma tumba construída há cerca de 3.570 anos? Isso é possível graças a um trabalho incrível do Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito e da American Research Center in
Que tal visitar de casa uma tumba construída há cerca de 3.570 anos? Isso é possível graças a um trabalho incrível do Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito e da American Research Center in

Créditos do fotógrafo Crédito: Reprodução - tour do Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito

Vladimir Gama Por Vladimir Gama 03/12/2020
    Compartilhe:

Que tal visitar de casa uma tumba construída há cerca de 3.570 anos? Isso é possível graças a um trabalho incrível do Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito e da American Research Center in Egypt (ARCE), que criou um tour em realidade virtual (VR) por tumbas, templos, museus e outros patrimônios históricos do Egito Antigo. Bacana, né?

Para embarcar nessa viagem no tempo, basta acessar a seção de notícias deste site aqui. Esse trabalho impressionante de registro histórico, que começou logo no início da pandemia de coronavírus, publica toda semana novos roteiros!

Além dessas visitas em 360º e alta definição, o site disponibiliza em inglês um material bem completo com fotos e informações sobre os museus, as várias dinastias e eras, os sítios arqueológicos, as pirâmides e vários outros temas desse vasto universo do Egito Antigo. Dá até para virar especialista!

Você tem a chance de conhecer, por exemplo, a tumba do faraó Ramsés VI, que governou o país entre 1143 e 1136 a.C. Este é considerado um dos túmulos mais bonitos da região conhecida como Vale dos Reis, na cidade de Luxor.

Ao passar por um extenso corredor, você contempla belas imagens e hieróglifos estampados nas paredes. E, ao chegar à câmara funerária, onde é possível ver parte da tampa do sarcófago do monarca, não se esqueça de olhar para cima e admirar as lindas pinturas que retratam o mundo pós-morte no teto dessa sala.

Outro monumento magnífico é a tumba da rainha Meresankh III, que foi neta de Quéops e esposa de Quéfren, importantes faraós responsáveis por encomendar as duas maiores pirâmides de Gizé.

Esse sítio arqueológico com mais de 4 mil anos está localizado aos pés da pirâmide de Quéops e só foi descoberto em 1927. Lá é possível encontrar imagens, hieróglifos e figuras impressionantes de pedra esculpidas nas paredes.

Já a tumba de Menna, localizada na Necrópole de Tebas, é um dos túmulos mais preservados. É possível ver nitidamente boa parte das imagens super coloridas que estampam as paredes do local.

Pouco se sabe sobre o dono desse túmulo, mas os historiadores descobriram que Menna foi um funcionário do alto escalão real, que auxiliava o faraó na administração dos campos e do templo de Amon-Rá, o “deus Sol”.

Outro destaque bacana desse acervo digital do Egito Antigo é uma visita ao Tut Hall no Museu Egípcio, no Cairo, onde é possível ver a icônica máscara de ouro do faraó Tutancâmon. A sala exibe boa parte dos 5 mil objetos que foram encontrados em 1922 na tumba desse importante monarca.

No site, ainda é possível conhecer o templo de Amada, o Museu de Arte Islâmica, o Museu Copta, o complexo funerário do faraó Unas, um complexo na pirâmide de Djoser, as tumbas dos irmãos Niankhkhnum e Khnumhotep e de Mehu, entre vários outros roteiros. (CL)

Comente com o facebook

Publicidade