Supermercado esconde corpo de homem morto em guarda-sóis e mantém funcionamento
O caso ganhou repercussão após internautas reagirem com indignação nas redes sociais.
O caso ganhou repercussão após internautas reagirem com indignação nas redes sociais.
Caio Machado Por Caio Machado 19/08/2020
    Compartilhe:

Um representante de vendas morreu enquanto trabalhava em um supermercado da rede Carrefour no Recife, e teve o corpo coberto com guarda-sóis e cercado por caixas de papelão, engradados de cerveja e tapumes improvisados entre as gôndolas.

Ele atuava como representante de vendas de uma empresa de alimentos fornecedora e não era funcionário do Carrefour, mas estava no local a trabalho. A empresa disse não ter encontrado a forma correta de proteger o corpo do trabalhador (veja íntegra da nota abaixo).

Funcionários e clientes que estavam no supermercado disseram que o estabelecimento permaneceu funcionado normalmente. O Carrefour identificou o homem como Moisés Santos e disse, em nota, que a causa da morte foi infarto. A esposa do promotor, no entanto, afirmou que o nome dele era Manoel Moisés Cavalcante.

O caso aconteceu no bairro da Torre, na Zona Oeste da capital pernambucana, mas ganhou repercussão após internautas reagirem com indignação nas redes sociais.

“O homem tinha 53 anos e trabalhava como representante de uma empresa de alimentos. Ele morreu, parece que de um mal súbito, e o corpo ficou lá das 7h30 até as 11h. Ficaram esperando a chegada do IML [Instituto de Medicina Legal] “, afirmou Renato Barbosa, que também é representante comercial, mas de outra empresa, e estava no local, em entrevista ao G1.
Segundo Barbosa, o supermercado estava cheio no momento em que o cadáver ficou coberto e isolado no corredor. “Dava para ver o corpo e as pessoas comentaram”, contou. A área onde ficou o corpo também foi isolada por uma fita amarela e preta.

De acordo com a família, o promotor prestava serviço para a empresa Coco do Vale. Procurado pelo G1, o diretor comercial da empresa, Carlos Viegas, informou que Moisés era subcontratado por meio de outra empresa, mas que a companhia lamenta o ocorrido.

Comente com o facebook

Publicidade