Roberto Carlos foi cupido de Lisa Gomes, repórter do Tv Fama
Jornalista começou na Rede TV como web drag repórter e se tornou a primeira transexual a fazer a previsão do tempo no mundo pela Climatempo
Jornalista começou na Rede TV como web drag repórter e se tornou a primeira transexual a fazer a previsão do tempo no mundo pela Climatempo

Créditos do fotógrafo Divulgação / MF Press Global

Erre Soares Por Erre Soares 02/07/2020
    Compartilhe:

Ela já está acostumada a lidar com as polêmicas do mundo dos famosos, mas sempre foi muito discreta com sua vida pessoal. Estamos falando da repórter Lisa Gomes que trabalha no programa TV Fama na Redetv há 7 anos e se tornou a primeira jornalista transexual da televisão e leva o título com muito orgulho e disciplina.

O apresentador e influenciador digital, Murilo Cunha fez sua estreia no mundo das lives e convidou Lisa Gomes para um bate-papo. Entre um assunto e outro, a jornalista deixou escapar que Roberto Carlos foi o cupido do seu casamento com o empresário e analistas de sistemas Paulo Roberto. O casal estava num show do rei, Lisa a trabalho e Paulo foi apenas assistir  e aconteceu o inesperado.

Paulo é muito amigo do cantor Nahim e usou dessa estratégia para se aproximar de Lisa, ficaram conversando horas e de lá pra cá não se desgrudaram mais. Roberto Carlos sabe da união dos pombinhos e Paulo se tornou o braço direito de Lisa, dirigindo inclusive seu canal de entrevistas no Youtube.

Ainda na live, Lisa explicou como conquistou um espaço na TV como repórter de celebridades. Antes de ser repórter da Rede TV!, Gomes foi assessora de imprensa do pai do cantor Michael Jackson, Joe Jackson (1928-2018), quando ele veio celebrar seu aniversário no Brasil em 2015. Lisa fez mistério sobre esse trabalho por conta de cláusulas contratuais.  Antes de se destacar na mídia, a profissional fez teatro em SP, mas desistiu da carreira por não se encaixar mais nos personagens masculinos.


Dia do Orgulho LGBTQI+                            

Questionada sobre a importância do Dia do Orgulho LGBTQI+, celebrado no último domingo, 28/06, Lisa destacou a lei que criminaliza a homofobia: “Primeiro eu tiro todos os rótulos. Não gosto de rótulos. Uma das conquistas da nossa classe foi a criminalização da homofobia. Infelizmente, a classe ainda é muito desunida.  O nosso maior acerto é gritar, temos uma ferramenta muito forte que é a internet, ela ajuda bastante, se acontece um crime, alguém vai registrar. A classe erra ao achar que tudo é homofobia, nem tudo é homofobia. Tem gente que se aproveita e outras não. O que é certo é certo”, disse a jornalista que foi apresentadora do mapa-tempo da Climatempo, sendo a primeira trans a fazer a previsão do tempo no mundo.

Web drag repórter

No bate-papo, a comunicadora contou também como entrou para o time de repórteres do TV Fama. Lisa queria ser web drag repórter, na época ela era uma drag queen.  “Liguei pra emissora e a chefe de redação web me atendeu, mandei pra ela meu projeto, cinco dias depois ela me chamou para ser repórter do João Kleber. Depois eu acabei entrando pro TV Fama, onde eu queria mesmo entrar, mas nenhuma matéria minha ia pro ar. Depois eu fiz algumas matérias para a Sonia Abrão, entrevistei o Walcyr Carrasco., e o diretor do TV Fama viu, gostou e me explicou o formato do TV Fama”, revelou.

 Assista a entrevista completa:

https://www.instagram.com/p/CCB4ZFPpSiO/

 

Comente com o facebook

Publicidade