Rio investe em prisões verticais
Rio terá conjunto de prisões verticais para criminosos de baixa de periculosidade
Rio terá conjunto de prisões verticais para criminosos de baixa de periculosidade
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 19/02/2020
    Compartilhe:

O governo do Rio de Janeiro divulgou mais detalhes sobre o projeto de construção de conjuntos de presídios verticais. Ao todo, a construção será composta por 5 presídios, com capacidade para receber até 25 mil detentos.

O planejamento divulgado inclui cinco conjuntos, sendo três no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste, um em Volta Redonda, no Sul Fluminense, e outro em local ainda não definido.

Cada conjunto conta com três edifícios que comportam entre 3.456 e 5 mil detentos. Dos 11 andares dos prédios, nove são com celas e dois têm salas de controle, refeitório e estrutura administrativa.

De acordo com Secretário de Obras e Infraestrutura do EstadoBruno Kazuhiro, o projeto dos presídios verticais representam uma inovação para o sistema penitenciário do Rio de Janeiro e que o modelo pode ser seguido por outras unidades prisionais do Brasil.

“O governador Wilson Witzel deseja reduzir o déficit de vagas no sistema prisional, mas ao mesmo tempo garantir que os direitos humanos dos detentos vão ser respeitados, assim como o ambiente de trabalho dos agentes penitenciários. Portanto o Conjunto Penal Vertical ele utiliza um terreno menor crescendo verticalmente ele permite acomodar mais pessoas em uma estrutura mais moderna, mais segura e para detentos de pequena e média periculosidade, ou seja, a população carcerária de grande periculosidade, membros de facções criminosas continuariam em presídios nos moldes tradicionais.

Kazuhiro salienta que novas as penitenciárias verticais serviriam para pessoas em regime semi aberto ou pessoas que estão em regime fechado, mas de média e baixa periculosidade.

“Isso facilitará o controle do dia a dia da unidade prisional. é um projeto que será construído com estrutura modular, o que faz com que ele seja mais barato aos cofres públicos e tudo indica que a primeira unidade seja em Volta Redonda, já há tratativas mais avançadas com a prefeitura da cidade”, conclui.

Em reportagem publicada pelo jornal O Globo, 86 presos da Operação Lava Jato que estão na Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo de Gericinó, se encaixam nos requisitos do projeto e serão realocados para os conjuntos. Detentos provisórios também são esperados nos Conjuntos Penais Verticais (CPVs).

Comente com o facebook

Publicidade