Rede Globo desistiu de renovar acordo e deixará de transmitir F-1 em 2021
A Globo informou aos seus parceiros comerciais que deixará de exibir corridas da F-1 a partir de 2021
A Globo informou aos seus parceiros comerciais que deixará de exibir corridas da F-1 a partir de 2021
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 28/08/2020
    Compartilhe:

A crise esta feia na emissora Globo. A pandemia e a taxa cambial - diferença entre nossa moeda - Real e o dólar, estão pesando na hora de fechar contratos internacionais de transmissão. Após anunciar que abriu mão dos direitos de transmissão da Copa Libertadores e recorrer à Justiça para não pagar uma parcela do seu contrato com Fifa, a Globo informou aos seus parceiros comerciais que deixará de exibir corridas da F-1 a partir de 2021.

A emissora carioca tem contrato com a FOM (Formula One Management), braço comercial da categoria e que pertence ao grupo Liberty, até o fim desta temporada, em dezembro.

No entanto, já avisou as suas anunciantes (Santander, Itaipava, Nivea, Renault e Tim) que não conseguiu chegar a um acerto para renovação do vínculo, em negociação desde o ano passado.

Como a próxima temporada só deverá começar em março de 2021 e a emissora brasileira representa um mercado significativo para a categoria, não está descartada a possibilidade de as partes reabrirem negociações.

A Globo fatura aproximadamente R$ 500 milhões com as cinco empresas e não registrou queda de audiência recentemente, mesmo sem a presença de brasileiros no grid nas duas últimas edições.

Segundo o PNT (Painel Nacional de Televisão), as transmissões da Globo alcançaram 98 milhões de pessoas nas 21 provas de 2019, melhor índice em oito temporadas e 13% acima do registrado em 2018.

Neste ano, a emissora marcou seu melhor desempenho na prova mais recente. O GP da Espanha atingiu 11 pontos em média em São Paulo (28% dos televisores), segundo o Ibope.

Assim como ocorreu com outros eventos do seu portfólio, porém, a empresa entende que os valores pedidos pela FOM estão fora do alcance num momento de crise econômica agravada pela pandemia.

A Globo transmite a F-1 desde 1972. No ano de 1980, a emissora abriu mão da competição, e a Band assumiu sua transmissão. Na ocasião, Nelson Piquet ficou perto do título. A emissora carioca resolveu, então, voltar a investir no esporte a partir de 1981. Assim, pôde exibir a primeira conquista de Piquet.

O Brasil ficou fora do calendário de 2020 da F-1 por causa da pandemia, e não há uma prova garantida no país para o próximo ano.

O contrato da FOM com a Prefeitura de São Paulo para realizar o GP Brasil em Interlagos se encerra neste ano.

A Interpub, empresa que organiza a corrida na capital paulista, avalia que sem TV aberta, principalmente a Globo, a prova poderá perder público e patrocinadores.

A empresa Rio Motorsports, que venceu a licitação para construir um autódromo no Rio de Janeiro (ainda sem autorização ambiental para sair do papel) e quer levar a F-1 para a cidade, também surge como potencial candidata a assumir os direitos de TV da categoria. Recentemente, a empresa adquiriu os direitos para exibir a Moto GP e as repassou ao canal Fox Sports, do grupo Disney.

Comente com o facebook

Publicidade