Produtos para proteção contra o coronavírus têm alta de até 2.600% nas farmácias do Rio
Procon-RJ recebeu quase 500 denúncias, fiscalizou mais de 200 lojas e farmácias e encontrou problemas em 60 delas.
Procon-RJ recebeu quase 500 denúncias, fiscalizou mais de 200 lojas e farmácias e encontrou problemas em 60 delas.
Caio Machado Por Caio Machado 31/03/2020
    Compartilhe:

Máscaras, luvas descartáveis e álcool em gel se tornaram produtos bastante procurados em lojas e farmácias do Rio. Com a procura alta e a oferta baixa, os preços subiram. No caso das máscaras, é possível comprar uma caixa com 50 unidades por R$ 5 ou R$ 150. Uma variação de 2.600%.

Entre os dias 6 e 27 de março, o Procon-RJ recebeu quase 500 ligações com denúncias sobre aumento abusivo nos preços de produtos. Desse total, 208 foram investigadas no estado, sendo que os fiscais encontraram problemas em 60 delas.

Entre os produtos que o Procon-RJ encontrou com maior aumento foram as máscaras N95, de proteção especial. Alguns comerciantes alegam que estão apenas repassando o aumento e que o preço vem dos representantes comerciais e da indústria.

Máscara caixa com 50 unidades

  • Preço médio: R$ 49,08
  • Maior preço: R$ 150,00
  • Menor preço: R$ 5,49
  • Variação de preço: 2.632%

 

Um levantamento do Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para Farmacêuticos, feito em 30 farmácias, mostra que as caixas de máscaras cirúrgicas podem custar de R$ 5 a R$ 150.

"O produto com maior variação de preço foi a caixa com 50 unidades de máscaras. Essa caixa foi encontrada com uma valor de R$ 5,49 em um estabelecimento, e em outro, o valor chegou a R$ 150. Se comparamos esses valores, a gente chega a uma taxa de variação de 2.632%. Uma taxa muito superior se comparada com São Paulo, que é de 800%", disse Marcus Vinícius Andrade, diretor do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ).

Outros produtos também apresentaram variação grande de preço. É o caso do álcool em gel de 50 gramas:

  • Preço médio: R$ 7,84
  • Maior preço: R$ 14,90
  • Menor preço: R$ 3,90
  • Variação de preço: 282%

 

O frasco de 50 gramas de álcool em gel pode ser comprado, segundo o levantamento, por quase R$ 15, uma variação de preço que chega a 280%.

Durante a fiscalização o Procon-RJ confirmou o aumento abusivo no preço desses produtos e autuou alguns estabelecimentos. Em outros, onde o aumento excessivo não foi comprovado, os proprietários foram notificados e deverão justificar os preços.

O Procon-RJ diz que vai apurar se esse aumento veio dos fornecedores e verificar se alguma dessas empresas praticou preços abusivos.

"Então, o Procon-RJ abriu um procedimento de investigação preliminar e está fazendo um levantamento da cadeia de fornecedores, da cadeia de produção e verificando se alguma dessas empresas praticou preços abusivos. Elas serão notificadas. O Procon, identificando, elas serão multadas e essa multa pode chegar a até R$ 10 milhões. Dependendo do porte da empresa", disse o representante do Procon-RJ.

A Defensoria Pública diz que o aumento no valor desses produtos é uma prática ilegal e que deve ser denunciada pelos consumidores.

"Praticar preços abusivos, em especial do álcool em gel nesse momento, é uma prática ilegal, vedada pelo Código de Defesa do Consumidor e por recente lei estadual aprovada no Rio de Janeiro. O consumidor deve denunciar. Deve ir nos canais de defesa do consumidor para fazer a denúncia. A prática é ilegal e deve ser coibida. Principalmente nesse momento", disse a defensora Patrícia Cardoso, coordenadora do Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecom), da Defensoria Pública.

As denúncias podem ser feitas pelo site ou pelo aplicativo do Procon-RJ.

Comente com o facebook

Publicidade