Polícia Civil descarta sabotagem em contaminação nas cervejas da Backer
Segundo o delegado Flavio Grossi, a sabotagem não ficou evidenciada durante as investigações.
Segundo o delegado Flavio Grossi, a sabotagem não ficou evidenciada durante as investigações.
Caio Machado Por Caio Machado 08/04/2020
    Compartilhe:

A Polícia Civil afirmou que sabotagem não é mais uma linha de investigação nas cervejas contaminadas da Backer.

A polícia trabalha com a hipótese de a empresa ter sido negligente durante o processo de fabricação, mas não falou quais são as outras linhas de trabalho. O G1 procurou a cervejaria Backer e aguarda retorno.

Nesta quarta-feira (08) completam três meses que o inquérito foi aberto e a Polícia Civil afirma estar próximo a conclusão. São 42 casos investigados por intoxicação de dietilenoglicol presentes nas cervejas da Backer. Nove pessoas morreram, mas apenas quatro tiveram os resultados positivos para intoxicação. As demais vítimas ainda não tiveram o resultado dos exames.

Taxista continua internado após consumir a cerveja da Backer. A família afirma que o coronavírus tem atrapalhado o tratamento que é feito pelo SUS.

Comente com o facebook

Publicidade