Pesquisa inédita revela o que pensa o consumidor sobre os “carros do futuro”
Levantamento considerou critérios como gastos com combustível, tecnologia, mobilidade, status e meio ambiente. Para 85% dos respondentes os impactos e gases poluentes que os automoveis podem gerar ao planeta, a exemplo dos elétricos, porém o elevado preço de compra ainda é um dificultador
Levantamento considerou critérios como gastos com combustível, tecnologia, mobilidade, status e meio ambiente. Para 85% dos respondentes os impactos e gases poluentes que os automoveis podem gerar ao planeta, a exemplo dos elétricos, porém o elevado preço de compra ainda é um dificultador

Créditos do fotógrafo Divulgação

Erre Soares Por Erre Soares 11/04/2019
    Compartilhe:

Com o objetivo de compreender como consumidores aficionados por autos enxergam e vislumbram o “futuro dos carros”, a MOB INC, consultoria de pesquisa especializada na análise e seleção de consumidores, realizou levantamento com os early adopters, ou seja, pessoas que se relacionam com uma categoria ou produto de maneira mais engajada e criativa.

Este perfil de consumidor desempenha um papel de influência dentro da cadeia de consumo, a partir dos insights que geram o tempo todo, pois, além de serem grandes aliados e facilitadores para que a inovação aconteça, são formadores de opinião no mercado. Ditam, sem mesmo perceberam, tendências, indicando e compartilhando o conceito da marca.

O estudo da MOB envolveu aproximadamente 80 consumidores, uma amostra composta por 50% homens e 50% mulheres, na faixa etária de 25 a 55 anos, classes A B e C, em São Paulo. A categoria de autos analisada foi SUVS, Hatch e Sedan, e critérios de observação e abordagem como aumento do combustível, viabilidade e uso de carros elétricos, custo, tecnologia, mobilidade, meio ambiente e status.

Atributos como conforto e design inteligente é citado sendo diferenciais importantes para 75% dos respondentes, desde que adaptados à realidade das grandes cidades. Para Felinto, “essa demanda se válida quando observamos que, no ano passado, a categoria de hatches compactos foi a mais vendida e representou quase a metade de todo o volume de vendas de carros no mercado nacional”, afirma Thiago Felinto, fundador da MOB.INC e um dos idealizadores da pesquisa.

Outro dado é que, para 58% dos entrevistados, ressignificar o status x a real necessidade de se ter carros grandes ou vários deles na garagem é algo a considerar. Eles consideram o próprio carro ligado à ideia de praticidade e conforto e são receptivos às novas ferramentas disponíveis no mercado como compartilhamento de carona, aluguel de carros e transporte privado por meio de aplicativos.

Cerca de 85% dos entrevistados manifestaram preocupação com o desenvolvimento de carros, dessa categoria, que prejudiquem o meio ambiente e, assim, a qualidade do ar que se respira nas grandes cidades, além de outros danos ao planeta em si. Uma das alternativas apontadas seria os veículos elétricos por não emitirem gases poluentes. A tecnologia já vem sendo testada pelo mundo afora e, sem dúvida, são os modelos mais aguardados, porém apontaram a preocupação com o preço ainda elevado, sendo um dificultador na decisão de compra e acesso. 

A produção de carros elétricos já é uma realidade em outros países. A americana Tesla é um bom exemplo disso. Conta com um sistema tecnológico 100% autônomo em algumas linhas, capaz de conduzir veículos sem a presença humana. Em seu mais recente lançamento, o SUV elétrico, chamado de Model Y, conta com uma autonomia de 450 km e todas as versões têm capacidade para acomodar até sete pessoas, garantindo conforto e espaço para bagagens.

Mercado em números

Em 10 anos no mercado, a Tesla já ultrapassou a Ford em valorização de mercado e perde apenas para a General Motors. Nos últimos cinco anos, registrou um faturamento na casa de U$$ 26 bilhões.

Já a indústria automobilística brasileira já dá seus primeiros indícios na retomada do crescimento neste começo de ano. É o que mostra a estatística feita pela AutoInforma, um aumento de 6,5% nos três primeiros meses, se comparado com mesmo período registrado em 2018. Já a Anfavea prevê uma alavancada de dois dígitos para 2019.

“Dizer que carros são uma das maiores paixões dos brasileiros pode não parecer novidade. Somos ligados a este universo desde muito cedo, movido por arquétipos de “herói” como foi o piloto Ayrton Senna, isso obviamente nos confirma uma conexão muito especial do consumidor com importantes representações neste mercado”, finaliza Felinto.

Sobre a MOB.INC

Fundada em 2013, a MOB INC ajuda na identificação do público-alvo, conectando à realidade das empresas e, assim, aumentar a assertividade de produtos e serviços no mercado. Já passaram pela consultoria grandes empresas como Coca Cola, C&A, Nestle, City, Bauducco, Boticário, Itaú, Havaianas, Gol, Bunge, Netflix, Ambev, Heinz, Google e outras.

Atualmente atendem a Box1824, Samsung, Fiat, WGSN, Scoop, Future Brand, Aurora3 e outras. Antecipo que a empresa está aberta para cafés de relacionamento, entrevistas, parcerias e palestras em todo Brasil.

Com forte atuação em países como Argentina, México, Colômbia e Chile, atuam na compreensão do mercado latino-americano, praticando uma gestão global, mas com intensa representação local. Desde sua fundação, já são mais de 12 mil entrevistas realizadas para traçar o perfil do consumidor. A empresa conta, atualmente, como 40 colaboradores/pesquisadores espalhados em todo o Brasil como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Salvador e Fortaleza.

Para saber mais sobre a MOB INC, acesse: https://www.mobinc.com.br

Comente com o facebook

Publicidade