Palocci fecha nova delação e cita Lula e Dilma
Ja foram mais de 20 depoimentos onde o ex-ministro fala de uma possível organização criminosa no governo federal
Ja foram mais de 20 depoimentos onde o ex-ministro fala de uma possível organização criminosa no governo federal
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 30/11/2018
    Compartilhe:

O ex-ministro Antonio Palocci, que deixou ontem, quinta-feira (29), a carceragem da Polícia Federal em Curitiba para cumprir prisão domiciliar, fechou um novo acordo de delação premiada. Sob sigilo, essa delação foi homologada no último dia 28 de outubro. 

Palocci deu detalhes para o processo que investiga fraudes cometidas em fundos de pensão e outros crimes contra o sistema financeiro que se relacionem com a Petrobras. 

Ao todo, foram mais de 20 depoimentos onde o ex-ministro fala de uma possível organização fraudulenta no governo federal e dá detalhes da atuação supostamente criminosa dos petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

VERSÂO DO PT

O Partido dos Trabalhadores (PT) informou que é mentira o que Palocci relatou envolvendo os ex-presidentes Lula e Dilma. Afirma que ele estaria prestando falsas declarações para sair da prisão.

A assessoria de Dilma Rousseff também classificou como mentirosas as declarações de Palocci e afirmou que ele não apresentou nenhuma prova do que disse. Também foi esse o argumento usado pela defesa de Lula e ainda afirmou que o petista não cometeu nenhum ato ilícito antes, durante ou depois de ocupar o cargo de presidente da República. 

Comente com o facebook

Publicidade