O que se sabe sobre a cloroquina? Droga é defendida por Jair Bolsonaro
A hidroxicloroquina tem sido usada há muito tempo para tratar a malária, bem como outras doenças, como lúpus e artrite.
A hidroxicloroquina tem sido usada há muito tempo para tratar a malária, bem como outras doenças, como lúpus e artrite.
Caio Machado Por Caio Machado 12/07/2020
    Compartilhe:

O interesse na hidroxicloroquina como medida preventiva e no tratamento de pacientes com coronavírus está em alta.

Ao anunciar que contraiu o vírus, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que tomou um derivado da droga, a cloroquina, junto com o antibiótico azitromicina para combater a infecção.

Mas, apesar de alguns estudos iniciais aumentarem as esperanças sobre a droga, um estudo subsequente em larga escala mostrou que ela não é eficaz como tratamento para a covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

A Organização Mundial da Saúde interrompeu seus testes, alegando que o medicamento não reduz as taxas de mortalidade em pacientes com o vírus.

A hidroxicloroquina tem sido usada há muito tempo para tratar a malária, bem como outras doenças, como lúpus e artrite.

Ela é usada para reduzir febre e inflamação, e havia esperança de que também poderia inibir o vírus que causa a covid-19.

Alguns estudos iniciais mostraram que a cloroquina pode reduzir a duração dos sintomas experimentados por pacientes com coronavírus, enquanto outros indicaram que ela não teve nenhum efeito positivo.

Um dos maiores estudos do mundo em andamento envolveu 11 mil pacientes com coronavírus em hospitais do país e incluiu testar a eficácia da hidroxicloroquina contra a doença, além de outros tratamentos em potencial.

A conclusão foi que "não há efeito benéfico da hidroxicloroquina em pacientes hospitalizados com covid-19" e o medicamento acabou retirado do experimento.

Comente com o facebook

Publicidade