O "Caso Lula" chega hoje à Segunda Instância
Em um ano, o futuro do ex presidente, e até mesmo do país, pode mudar drasticamente.

Créditos do fotógrafo Reprodução

Por Hebert Neri 24/08/2017
    Compartilhe:

O futuro político (e até mesmo carcerário) do ex presidente molusco Lula chega hoje à segunda instância, que ficará responsável por dar um veredicto final ao caso. O réu foi condenado em primeira instância pelo juíz Sergio Moro a 9 anos e meio de prisão por causa do "triplex" no Guarujá, acusado de receber o imóvel como parte de um esquema de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) está a encargo desse julgamento.

O caso de Lula foi distribuído para o gabinete do relator João Pedro Gebran Neto, responsável pelos processos da Lava Jato no segundo grau. O tempo de um julgamento no TRF-4 demora cerca de um ano.

Se Lula for condenado antes da data de inscrição de candidatos para a as eleições de 2018, então ficará inelegível. Se for condenado antes da data das eleições, em outubro, então seu registro será cassado. Se for absolvido, obviamente nada ocorre. O petista já deixou claríssimo que tem total interesse em disputar o pleito presidencial do próximo ano.

Se o pessoal do TRF-4 demorar muito para julgar Lula, ou seja, se ele concorrer às eleições de 2018, e se ganhá-las, for diplomado e, só depois disso, o tribunal condená-lo, a situação muda totalmente. Isso porque não haveria respaldo legal para que o petista não ocupasse o cargo. Nesse caso, a Constituição Federal prevê a suspensão do processo e, com tal medida, o petista seria o presidente do Brasil e assumiria o cargo normalmente em 2019. É Lula inocente pra sempre. 

Vamos ver no que isso vai dar. Na situação atual dele, ganhar a eleição seria muito benéfico para si. Muitos, no entanto, discordam que seria benéfico para alguém além do próprio Lula. 

Comente com o facebook

Publicidade