Mega acidente em Curitiba esta sendo apurado
O acidente envolveu 23 veículos, deixou oito mortos e outros 21 feridos
O acidente envolveu 23 veículos, deixou oito mortos e outros 21 feridos
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 04/08/2020
    Compartilhe:

A Polícia Civil de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), deve ouvir nos próximos dias, as testemunhas e o motorista do caminhão que se chocou no domingo à noite com vários carros no quilômetro 77 da rodovia BR-277, no bairro Afonso Pena, no limite entre Curitiba e São José dos Pinhais. O acidente envolveu 23 veículos, deixou oito mortos e outros 21 feridos. Uma das vítimas, em estado grave, corre sério risco de vida.

O Corpo de Bombeiros, que mandou equipes ao local, acredita que a neblina e a fumaça provocada por uma queimada à beira da estrada tenham provocado a tragédia.

"De acordo com as filmagens, a fumaça não subiu e, com a neblina, ficou sem visibilidade nenhuma", disse a primeiro-tenente da corporação, Camila Mahmoud. Ela alertou sobre o aumento das queimadas. "Estamos passando pela maior estiagem dos últimos 20 anos. Com isso, aumentou em 77% o número de queimadas em relação ao ano passado."

Segundo dados do Corpo de Bombeiros, sete pessoas morreram no local. A oitava vítima foi levada para o Hospital Cajuru, em Curitiba, mas não resistiu aos ferimentos. Outra pessoa corre sério risco de vida e as demais 21 vítimas apresentam ferimentos leves.

Também foram contabilizados 16 carros (sendo uma viatura da PM), cinco motocicletas e um caminhão atingidos.

Imagens do logo após o acidente, correm pelas redes, sendo repassados, e não tem quem não fique horrozidado com as cenas, parecia que tinha havido uma explosão, tal a devastação vista. 

CARRETA - TACÓGRAFO

O tacógrafo da carreta envolvida no grave acidente na BR-277, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, no último domingo (2), marcou velocidade compatível com a via. De acordo com a empresa, o disco registrou 80 km/h, que é o limite de velocidade no trecho.

Logo após o acidente, uma equipe foi até o local do engavetamento para prestar assistência ao caminhoneiro. Ele havia acabado de iniciar uma viagem para São Paulo, após passar o final de semana com a família.

No local da tragédia, o teste do bafômetro e aferição do tacógrafo foram realizados. O exame apontou inexistência de álcool e o dispositivo marcava velocidade compatível com a via. Ambas informações estão registradas no relatório da ocorrência.

Segundo o delegado Fábio Machado, da PCPR (Polícia Civil do Paraná), uma investigação foi iniciada para descobrir as causas do acidente.

“Foi constado que ele não estava embriagado, verificamos também que havia muita fumaça no local e o motorista tentou desviar dos carros, mas acabou atropelando as pessoas. Nós vamos apurar sim, em um inquérito policial, se há ou não responsabilidade por parte desse motorista”, explicou Machado.

A falta de visibilidade na rodovia no momento do grave acidente foi confirmada por um sobrevivente. De acordo com Ricardo Xavier de Souza, havia uma ‘bolsa’ de neblina e fumaça que impedia a visualização da pista.

Foto enviada pela equipe responsável pela interdição da BR-277, em São José dos Pinhais, mostra a falta de visibilidade no trecho (Divulgação/PRF)

Comente com o facebook

Publicidade