Médica que cuidou de Bolsonaro após facada está com covid-19
Carmen Sílvia Valente Barbas chegou a ser entubada durante a internação
Carmen Sílvia Valente Barbas chegou a ser entubada durante a internação
Caio Machado Por Caio Machado 03/04/2020
    Compartilhe:

A médica pneumologista Carmen Sílvia Valente Barbas, fisioterapeuta da equipe médica que cuidou do presidente Jair Bolsonaro no tratamento de saúde após a facada da campanha eleitoral, está internada no Hospital Albert Einstein, vítima da infecção pelo novo coronavírus. 

O hospital Albert Einstein não nega nem confirma a internação e a família de Carmen Valente Barbas não quer comentar a hospitalização. Amigos e pacientes torcem para uma rápida recuperação da médica. Por redes sociais, ela recebe mensagens de força e melhoras enviadas por amigos, colegas e alunos, comovidos com o estado de saúde da médica.

Carmem Valente Barbas é especialista em insuficiência respiratória, ventilação mecânica protetora, recrutamento alveolar, lesão pulmonar aguda, hemorragia alveolar e vasculites pulmonares. Segundo o currículo da especialista, publicado em rede social, a profissional tem estudos também na área de desconforto respiratório de crianças.

"Tenho grande admiração e gratidão por esta médica, que nos atendeu em muitos momentos difíceis no Einstein e no seu consultório a qualquer momento", afirmou a psicóloga Denise Gaspar Cieplinski. "É uma médica humana e com conduta eficaz com seus pacientes. Espero que seu sofrimento com a covid-19 seja breve e que seja merecedora apenas da imunização natural como infectada", afirmou a psicóloga.

Carmen Barbas vinha trocando informações sobre a covid-19 com grupos de colegas, discutindo a gravidade da infecção pulmonar. No dia 23, ela compartilhou nas redes sociais material que mostra a gravidade da doença quando ela ataca os pulmões. Nesta segunda-feira, o hospital Israelita Albert Einstein informou que cerca de 350 pessoas da equipe hospitalar foram afastadas por causa da nova doença. Pelo menos 15 profissionais do Einstein foram hospitalizados com a doença no próprio hospital, segundo nota do hospital.

No Sírio Libanês, uma centena de funcionários também foi afastada do trabalho por causa da contaminação da covid-19. Outros médicos famosos de São Paulo, como os cirurgiões Raul Cutait e Roberto Kalil, também foram hospitalizados, estes no hospital Sírio-Libanês, ambos com a doença, além do médico David Uip, que está em isolamento em casa, igualmente afetado pelo novo coronavírus.

Comente com o facebook

Publicidade