Lady Gaga pede desculpas por ter trabalhado com R. Kelly, acusado de abuso sexual
Os dois trabalharam juntos na música "Do what u want", faixa do álbum "Artpop" (2013)
Os dois trabalharam juntos na música 

Créditos do fotógrafo Reprodução

Bruno Alexandre Por Bruno Alexandre 10/01/2019
    Compartilhe:

Lady Gaga quebrou o silêncio e pediu desculpas por ter colaborado com o cantor R. Kelly, acusado de abuso sexual. Os dois trabalharam juntos na música "Do what u want", faixa do álbum "Artpop" (2013). A artista prometeu retirar a música de todas as plataformas de streaming.

A decisão aconteceu uma semana após uma série documental ressuscitar diversas acusações de abuso contra o artista , considerado um ícone do R&B. "Surviving R. Kelly”, exibido pelo canal Lifetime (ainda sem previsão de chegar ao Brasil), traz entrevistas com ativistas e integrantes do movimento #MeToo, além do músico John Legend. O documentário relata décadas de abusos sexuais perpetrados por Kelly.

"As alegações contra R. Kelly são absolutamente horríveis e indefensáveis. Enquanto vítima de assédio sexual, fiz tanto a música quanto o clipe num momento sombrio da minha vida. Meu objetivo era criar algo extremamente desafiador e provocativo porque eu estava com raiva, e ainda não havia processado o trauma que ocorreu na minha própria vida", desabafou a cantora e atriz, em mensagem publicada no Twitter na noite desta quarta-feira.

Em 2015, Gaga foi indicada ao Oscar pela canção "Til it happens to you", do documentário "The hunting ground" , que fala justamente sobre assédio sexual em campus de universidades americanas. No dia da cerimônia, ela emocionou ao se apresentar ao lado de várias vítimas.

No post desta quarta, ela atribui a colaboração com R. Kelly à sua experiência com o assunto.

"Acho que agora está explícito o quão distorcido era meu pensamento na época. Se pudesse voltar no tempo e conversar com minha versão mais nova, eu lhe diria para ir à terapia para entender o estado de confusão pós-traumática no qual eu me encontrava", escreveu a cantora.

Ela continua:

"Se terapia não estivesse disponível, eu procuraria ajuda e falaria abertamente sobre o que enfrentei. Não posso voltar no tempo, mas posso seguir em frente e continuar apoiando mulheres, homens e pessoas de todas as identidades que foram vítimas de assédio sexual", conclui a artista, prometendo jamais trabalhar com Kelly novamente.

Comente com o facebook

Publicidade