Baleias usam “redes de bolhas” para pegar peixes
Uma Incrível filmagem, muito rara, subaquática, mostra baleias usando “redes de bolhas” para preparar armadilha para peixes
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 16/10/2019
    Compartilhe:

Como deve ser sabido por todos, baleias são animais mamíferos, e não peixes, com incrível inteligência, e por isso também se alimentam de forma incrível.

Uma vez que elas vivem no oceano, seu prato preferido são frutos do mar. E, como são muito mais eficientes e amigas do meio ambiente que nós, ao invés de lançar redes para pescá-los, elas criam suas próprias redes usando bolhas.

Sim, isso é um fato e é chamado de “alimentação por rede de bolhas”. Algumas baleias se reúnem para criar um círculo borbulhante que prende peixes e krill, enquanto outras aproveitam a armadilha para engolir as presas por baixo.

vamos  ver como funciona? Biólogos marinhos da Universidade do Havaí (EUA) nos proporcionaram uma incrível e rara visão desse processo por dois ângulos diferentes: uma imagem área de drone que mostra toda a ação de cima, e câmeras e sensores nos próprios animais que nos dão um insight da perspectiva das três baleias-jubarte (Megaptera novaeangliae) envolvidas na filmagem.

O principal objetivo desta pesquisa é descobrir porque populações de baleia-jubarte têm diminuído nos últimos cinco anos, depois de terem aumentado graças a proibição de sua caça em 1985.

Algumas das hipóteses são impacto humano, falta de alimentos e mudança climática.Essas baleias são migratórias, e costumam se alimentar na região do Alasca antes de passar para as águas mais quentes da Califórnia e do Havaí durante o inverno para se reproduzir, período no qual quase não comem.

Logo, é importante que tenham feito um bom estoque. E como a rede circular de bolhas é uma das técnicas cooperativas que essas baleias usam para se alimentar, os cientistas decidiram estudá-la mais a fundo – daí todas as câmeras e sensores.

“As filmagens são bastante inovadoras. Estamos observando como esses animais estão manipulando suas presas e preparando-as para a captura. Está nos permitindo obter novas ideias que realmente não conseguíamos antes”, esclareceu o biólogo marinho Lars Bejder, do Programa de Pesquisa de Mamíferos Marinhos da Universidade. [ScienceAlert]

Comente com o facebook

Publicidade