Faleceu o antropólogo Rubem Ferreira Thomaz de Almeida, primeiro Diretor-Executivo do Greenpeace Brasil.
Antropologo ajudou a fundar o Greenpeace Brasil
Antropologo ajudou a fundar o Greenpeace Brasil
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 27/07/2018
    Compartilhe:

É com muita tristeza que o Greenpeace compartilhou a notícia da morte de Rubinho, como era carinhosamente conhecido o antropólogo Rubem Ferreira Thomaz de Almeida. Depois de lutar bravamente contra as consequências de um tumor, na quinta-feira, 26 de julho, ele não resistiu às complicações que resultaram de uma intervenção cirúrgica.

Rubinho graduou-se em Ciências Sociais pela USP em 1977. Ainda durante a graduação começou a atuar junto aos Kayowá-Ñandeva, fazendo parte do esforço crítico à integração forçada dos povos indígenas, defendida pelas muitas ditaduras latino-americanas na época.

Tornou-se, também, um crítico ferrenho das teorias da aculturação e do culturalismo que predominavam na leitura antropológica acerca dos Guarani até o início dos anos 1980.

O antropólogo esteve próximo da equipe que ajudou a fundar o Greenpeace no Brasil e foi seu primeiro Diretor-Executivo. Também trabalhou junto aos povos Guarani nos temas que afetam suas vidas em muitos pontos do Brasil, sempre abrindo espaço para que estes se fizessem ouvir. Mais recentemente, se preparava para escrever um livro sobre sua experiência de vida atuando junto aos Kayowá e Ñandeva em diversos pontos do país.

A ausência de Rubinho será muito sentida pela família, pelos muitos amigos que fez ao longo da vida e pelos povos indígenas com os quais trabalhou, mas ele deixa um exemplo de generosidade, profissionalismo e dedicação que seguirá inspirando a todos nós na busca de um Brasil mais justo, solidário e, principalmente, respeitador dos direitos de todos os povos originários.

Comente com o facebook

Publicidade