Expulso, Neymar protesta contra racismo em derrota do PSG
"Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse b****", disse o brasileiro
Caio Machado Por Caio Machado 14/09/2020
    Compartilhe:

Neymar foi um dos envolvidos na grande confusão que marcou o fim do clássico, na derrota por 1 a 0 do Paris Saint-Germain para o Olympique de Marselha, pelo Campeonato Francês. O brasileiro reclamou de ofensas racistas que teriam sido proferidas pelo zagueiro espanhol Álvaro González.

Ele discutiu com o defensor e foi expulso já nos minutos finais. Na saída de campo, Neymar admitiu ter agredido o espanhol. Após a partida, o craque declarou nas redes sociais:

"Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse b*****"

Logo após, Neymar desabafou mais uma vez, criticando o fato da sua agressão ter sido analisada com o auxílio do árbitro de vídeo (VAR), mas as câmeras não terem flagrado o momento em que Álvaro González o teria xingado de "macaco filho da p...".

No desabafo, o camisa 10 lembrou a punição que sofreu por ter dado uma carretilha (ou lambreta) em jogo do PSG contra o Montpellier, em fevereiro deste ano.

– VAR pegar a minha “agressão” é mole ... agora eu quero ver pegar a imagem do racista me chamando de “MONO HIJO DE PUTA” (macaco filha da puta)... isso eu quero ver! E aí? CARRETILHA vc me pune.. CASCUDO sou expulso... e eles? E aí ? – escreveu o atacante.

No primeiro tempo, o brasileiro já havia protestado com o quarto árbitro, dizendo "racismo, no!". Não fica claro nas imagens se ele foi o alvo das ofensas.

O árbitro Jérôme Brisard interrompeu o jogo para tentar entender o que havia acontecido. Álvaro González reclamava com a arbitragem sobre uma suposta cusparada de Di María, que também alegou ter sido ofendido. O defensor do Olympique sugeriu a utilização do VAR para a apuração da confusão.

Comente com o facebook

Publicidade