Crivella admite que estado possa assumir Sambódromo, mas coloca um porém
O prefeito, na mesma declaração, feita no evento de lançamento do novo site da prefeitura, afirmou que deseja incluir no pacote de negociações a devolução dos três hospitais estaduais que foram municipalizados
O prefeito, na mesma declaração, feita no evento de lançamento do novo site da prefeitura, afirmou que deseja incluir no pacote de negociações a devolução dos três hospitais estaduais que foram municipalizados
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 13/03/2019
    Compartilhe:

Após o governador Wilson Witzel declarar que gostaria que o estado do Rio de Janeiro assumisse o controle do Sambódromo, o prefeito Marcelo Crivella, disse, nesta segunda-feira, 11/03, que pode discutir a ideia. Mas com ressalvas.

“O Witzel está mal informado. Ele não vai retomar, vai pedir – o Sambódromo pertence ao município, não ao Estado. Claro, podemos conversar, não há problema nenhum”, disse Marcelo Crivella.

O prefeito, na mesma declaração, feita no evento de lançamento do novo site da prefeitura, afirmou que deseja incluir no pacote de negociações a devolução dos três hospitais estaduais que foram municipalizados, o Rocha Faria, em Campo Grande; Pedro II, em Santa Cruz; e Albert Schweitzer, em Realengo.

“Acho que o governador poderia assumir, também, o Hospital Rocha Faria, o Pedro II, o Albert Schweitzer que são hospitais do Estado e que a prefeitura, na época em que o estado estava quebrado, assumiu. Então agora é possível que o estado, já que pode cuidar do carnaval, cuide também da saúde que, cá para nós, é mais importante que o carnaval”, afirmou Crivella.

“Já estamos levantando os custos, nós vamos tornar o Sambódromo, a partir deste ano ainda, um espaço de convivência da história do carnaval. Eu fico muito triste de ver o turista chegando aqui e tirando foto da arquibancada”, destacou o governador durante o carnaval.

Comente com o facebook

Publicidade