Cinemas tem o pior julho de muito tempo
Salas de cinema amargam pior férias de muito tempo.
Salas de cinema amargam pior férias de muito tempo.
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 06/08/2018
    Compartilhe:

Por conta das férias escolares de meio de ano,o mês de julho costuma ser o melhor mês do ano em bilheteria para o cinema.

Mas este ano,ao contrário do esperado, as coisas não foram boas para as salas brasileiras neste mesmo mês em 2018.

A queda de público aconteceu, a princípio, por dois motivos: a crise econômica e a Copa do Mundo da Rússia, que terminou no último dia 15.

De acordo com dados do “Filme B”, foi registrado em julho de 2018 um público de 20,34 milhões (em espectadores) nos cinemas brasileiros, contra 22,58 milhões em 2017, 22,65 milhões em 2016 e 21,85 milhões em 2015.

Acreditamos que associado a crise econômica, esta também, os altos preços praticados pelas salas, em especial aos itens acessórios, os itens da bomboniere, como pipoca, refrigerantes, balas, etc. Os preços andam tão nas alturas, que comparativamente, é possível comprar "N" vezes o mesmo produto em condições normais. Um refrigerante de boa marca, custa em média R$ 4 reais 1,5 litros, e no cinema 700 ml saem por cerca de R$ 10. 

Acrescente a estes fatores o avanço no uso de internet, onde alguns sites permitem baixar filmes tão logo saiam, e as redes privadas e pagas de filme, como a Netflix, que roubam uma boa fatia do público. 

Os jogos da Copa sempre causam um estrago no orçamento das pessoas, pois em dias em que não iriam gastar nada, muitas das vezes, se vêem envolvidas em festas, churrascos, etc, que acabam com os orçamentos familiares. 

Comente com o facebook

Publicidade