Cientistas encontram 'barata gigante' que vive no fundo do mar
A nova criatura pertence ao gênero Bathynomus, grandes criaturas com corpos achatados e duros, e que vivem em águas profundas.
A nova criatura pertence ao gênero Bathynomus, grandes criaturas com corpos achatados e duros, e que vivem em águas profundas.
Caio Machado Por Caio Machado 23/07/2020
    Compartilhe:

Cientistas da Indonésia anunciaram que encontraram um dos maiores crustáceos já vistos no mar, e o descreveram como uma barata gigante.

Bathynomus raksasa foi encontrada no Estreito de Sunda, entre as ilhas indonésias de Java e Sumatra, em profundidades de 957 m e 1.259 m abaixo do nível do mar.

Quando adultas, as criaturas medem em média 33 cm e são consideradas "supergigantes". A espécie contudo, pode chegar a 50cm.

"Seu tamanho é realmente muito grande e ocupa a segunda maior posição no gênero Bathynomus", disse a pesquisadora Conni Margaretha Sidabalok, do Instituto de Ciências da Indonésia.

Cahyo Rahmadi, chefe de zoologia da LIPI, disse que a descoberta é uma indicação de "como o grande potencial de biodiversidade da Indonésia ainda não foi revelado".

De acordo com o Museu de História Natural de Londres, existem diferentes teorias para explicar por que os isópodes do fundo do mar são tão grandes. Os animais que vivem nessas profundezas precisam carregar mais oxigênio, então seus corpos são maiores, com pernas mais longas.

Outro fator é que não existem muitos predadores no fundo do mar, o que permite crescer com segurança até tamanhos maiores. A Bathynomus tem menos carne do que outros crustáceos, como os caranguejos, tornando-as menos apetitosas para predadores.

Segundo o Museu, seu metabolismo é incrivelmente lento. Há relatos de que um isópode gigante mantido em cativeiro no Japão teria sobrevivido por cinco anos sem comer.

Comente com o facebook

Publicidade