Casa em que Domingos Montagner nasceu e viveu vai se transformar em centro de cultura e educação
O imóvel fica no bairro do Tatuapé (SP), será destinado a jovens em situação de vulnerabilidade social
O imóvel fica no bairro do Tatuapé (SP), será destinado a jovens em situação de vulnerabilidade social
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 27/09/2019
    Compartilhe:

Três anos após sua morte, que foi precoce e trágica, o ator Domingos Montagner terá seu legado transformado em um projeto social com iniciativa encabeçada por Luciana Lima, viúva do ator, com quem ele era casado desde 2002.

No domingo (29), será apresentado o projeto para transformar a casa onde o ator nasceu e viveu, no bairro do Tatuapé, na zona leste de São Paulo, em um centro de cultura e educação, para trabalhar com jovens da região em situação de vulnerabilidade social. Amigos e familiares também apoiam o projeto.

O projeto vai se iniciar a passos curtos, com uma campanha de crowdfunding para viabilizar a primeira etapa da iniciativa, que vai atuar em escolas da região. Domingos, que trabalhou como ator, produtor, palhaço e professor, sempre acreditou na educação e na arte como ferramentas de crescimento e de transformação.

A iniciativa do projeto também conta com o Instituto DOM, associação sem fins lucrativos formada pela viúva do ator, a produtora executiva Luciana Lima; seu sócio na Cia LaMínima e grande parceiro, Fernando Sampaio; o irmão do ator e profissional da área contábil e tributária, Francisco Montagner; e o amigo e gestor cultural com larga experiência em educação pela arte, Gustavo Wanderley.

O grupo vai transformar a casa simples - localizada na rua Tijuco Preto, 263 - na sede da Casa Domingos Montagner – Cultura & Educação, espaço que abrigará cursos, vivências, espetáculos, exposições, e oportunidades educativas, através do Circo e do Teatro, para jovens de 13 a 24 anos em situação de vulnerabilidade social.

O propósito não é formar artistas, mas facilitar a autonomia dos jovens na busca de conhecimento, na capacidade de trabalhar em grupo e cuidar do coletivo, entre muitas outras habilidades fundamentais para qualquer profissão e para a vida. A Casa também terá espaço para a formação de Artistas-Educadores, com o objetivo de ampliar o alcance de trabalho com os estudantes.A

A campanha de crowdfunding começa no domingo (29) e ficará no ar por 60 dias, na plataforma de financiamento colaborativo Benfeitoria. A meta é alcançar um total de R$ 466 mil, valor que será usado para viabilizar em escolas da rede pública da região (até agora, são nove as selecionadas) a primeira etapa da iniciativa, o projeto Educação pela Arte, cujo propósito é criar oportunidades educativas a partir do conhecimento do ser humano e do mundo, da vivência, identificação e incorporação de valores, baseados nos quatro pilares principais do Relatório de Jacques Delors para a UNESCO: conhecer, conviver, ser e fazer. Os recursos também permitirão a realização de espetáculos de teatro, música e dança gratuitos, uma vez por mês, ao longo de um ano, na rua da Casa.

MORTE
Domingos morreu aos 54 anos, ao se afogar em um trecho do Rio São Francisco, no dia 15 de setembro de 2016. O ator estava em Sergipe para gravar cenas da novela Velho Chico e, de acordo com a TV Globo, decidiu tomar um banho de rio após o almoço, no intervalo das gravações.

A segunda etapa contará com outras ações de financiamento e prevê a construção de um edifício com três pavimentos. O complexo abrigará uma sala de espetáculos multiuso (incluindo cinema); uma sala para expressões do corpo (teatro, acrobacia, comicidade física/pantomina e palhaçaria); um laboratório de desenho em cena (cenografia, figurino e impressão 3D de maquetes para a cenários); uma sala de convivência, além de educativo, coordenação, administração, sanitários e camarins. No espaço para exposições haverá uma mostra permanente sobre a trajetória do artista. 

“Domingos sempre falou com muito carinho do bairro onde nasceu, cresceu e onde se formou professor. Ele se orgulhava de sua origem do Tatuapé. A casa foi doada pelos herdeiros da família Montagner ao Instituto para contribuir com o desenvolvimento de crianças e jovens. Nosso desejo é que se torne um centro para potencializar o convívio entre pessoas de todas as idades”, declara Luciana Lima.


 

Serviço:


DATA: 29 de setembro

HORÀRIO: a partir de 16h
Praça Silvio Romero, Tatuapé - SP

(os artistas seguirão em cortejo da Praça até a Casa Domingos Montagner, na Rua Tijuco Preto, 263)

Comente com o facebook

Publicidade