Cão de ex presidente Bush aguarda ao lado de seu caixão
O cachorro, da raça labrador, havia sido doado por uma ONG em junho passado para ajudar o ex-presidente, que sofria de mal de Parkinson
O cachorro, da raça labrador, havia sido doado por uma ONG em junho passado para ajudar o ex-presidente, que sofria de mal de Parkinson
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 03/12/2018
    Compartilhe:

O porta-voz de George H. W. Bush, Jim McGrath, postou no Instagram uma foto que mostra o cão Sully deitado em frente ao caixão em que era velado o ex-presidente, que foi coberto com a bandeira dos Estados Unidos. 

"Missão concluída", diz a legenda da imagem. O cachorro, da raça labrador, havia sido doado por uma ONG em junho passado para ajudar o ex-presidente, que sofria de mal de Parkinson, em tarefas como abrir portas e pegar objetos. Agora, ele será levado ao centro médico militar Walter Reed para acompanhar algum veterano norte-americano que precise de auxílio.

A mensagem foi compartilhada por George W. Bush, filho e também ex-presidente dos EUA. "Por mais que nossa família sentirá falta desse cachorro, estamos felizes em saber que ele levará a mesma alegria a sua nova casa, Walter Reed", escreveu. 

Em uma mensagem publicada no Twitter no último dia de 25 de junho, o perfil oficial de 'Bush pai' saudou a chegada de Sully. "Uma imensa alegria de receber o mais novo membro de nossa família, Sully, um lindo - e maravilhosamente treinado - labrador da America's Vet Dogs. Não poderia estar mais grato, especialmente por seu comprometimento com nossos veteranos", diz o texto.

O EX PRESIDENTE

George Hebert Walker Bush, president dos EUA entre 1989 e 1993, morreu na última sexta-feira (30), aos 94 anos. A homenagem nacional começa nesta segunda-feira (3) com a transferência de seu caixão do Texas a Washington a bordo do Air Force One, oferecido por Donald Trump para a ocasião.

Ele será velado pelo público no Capitólio, sede do Congresso americano, até a próxima quarta-feira (5), quando haverá um funeral de Estado na Catedral Nacional de Washington.

Assim como Gerald Ford (morto em 2006), Ronald Reagan (2004) e Richard Nixon (1994), o 41º presidente da história dos Estados Unidos será velado de acordo com o protocolo dos funerais de Estado, organizado com precisão militar pela força do Pentágono responsável pela proteção na capital.

O presidente Trump estará presente, assim como Michelle Obama, que anunciou o adiamento da promoção de seu livro na Europa, e o ex-primeiro-ministro canadense Brian Mulroney, que fará um elogio fúnebre, segundo o site Politico.

Em seguida o corpo será levado de volta para Houston, no Texas, onde será sepultado na quinta (6), ao lado de sua esposa, Barbara, morta em abril passado, aos 92, e de sua filha Robin, falecida em 1953, aos três anos, vítima de leucemia.

Comente com o facebook

Publicidade