Camarotes da Sapucaí - veja as mudanças de estilo e de público
Aquele modelo antigo, bancado por marcas, praticamente não existe mais. muitas áreas vips se abrem para público que pode pagar altos valores.
Aquele modelo antigo, bancado por marcas, praticamente não existe mais. muitas áreas vips se abrem para público que pode pagar altos valores.
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 01/03/2019
    Compartilhe:

Durante muitos anos, convivemos com aquele modelo de camarotes superexclusivos e abertos apenas a celebridades e convidados . Agora este formato esta sumindo, a mudança começou há alguns anos, com o surgimento de grandes camarotes abertos também ao público.

Em 2019, a quantidade de camarotes que disputam por um público que quer curtir o espetáculo, mas cercado de luxo, mordomia e outras atrações, é enorme. São mais de 10, isso se considerarmos apenas os mais famosos.

O primeiro surgiu em 2010, o Folia Tropical. Todos oferecem música, ambiente climatizado, spa, esquema open bar e open food - com cardápios desenvolvidos por chefs famosos - e transporte.

O empresário José Victor Oliva, idealizador do icônico Camarote da Brahma, que foi o sonho de carnaval de muita gente durante anos, presenciou todo o processo de mudança e se adaptou a ele. Desde 2017, o local deixou de receber apenas convidados e abriu espaço ao público, se transformando no Camarote Número 1. Mas para desfrutrar de toda este luxo, o folião tem que desembolsar pelo menos R$ 2,2 mil.

"Grande parte dos camarotes na Sapucaí - se não todos - foi, por muito tempo, de marcas em busca de visibilidade e marketing.

Esta forma de marketing que até então funcionava bem, mas que hoje em dia não. Não basta mais uma celebridade usar a sua marca e exibir sua logo para você ser lembrado. Os consumidores precisam se sentir parte, estar próximos das marcas que gostam e consomem. Havia uma demanda reprimida de um público que adoraria estar nos espaços privilegiados, mas não podia. Eu sempre digo que os camarotes eram desejados por muitos, frequentados por poucos", destacou.

Sobre o número imenso de camarotes este ano, ele chama atenção para outro fato que é desafio para os organizadores dos desfiles: a concorrência com a oferta imensa de blocos no carnaval de rua do Rio de Janeiro.

"Criar e manter um projeto como um camarote na Sapucaí demanda muito investimento.

A concorrência mantém o mercado aquecido e é positiva. Mas vale pontuar que, no carnaval, não são somente os outros camarotes

que são nossos concorrentes. Os blocos de rua também competem com a gente pela atenção dos foliões".

E para garantir a preferência do público os camarotes investem em grandes atrações musicais. Luan Santana, Bell Marques, Ludmilla e a banda Barão Vermelho são alguns dos que estarão se apresentando nos intervalos entre as escolas e prometem atrair muitos fãs.

"A escolha foi feita pensando no público, pensando em trazer um pouco de todos os ritmos do Brasil, mostrando a diversidade do nosso país. E de ter os amigos que eu admiro tocando", conta a promoter Carol Sampaio, uma das sócias do Nosso Camarote, que terá muito funk no sábado com o Baile da Favorita, Iza no domingo, Ludmilla e Preta Gil na segunda e Luan e Banda Eva no sábado.

Apesar dos famosos não serem mais o principal chamariz para o público, alguns deles também apostaram em um time de anfitriões de peso. O Club Arpoador por exemplo esta pegando pesado e tem Juliana Paes, David Brazil e Bianca Andrade.

"A Juliana Paes foi escolhida por seu um ícone da beleza e do carnaval. É uma atriz admirada pelo talento e simpatia. Já o David Brazil é o muso da espontaneidade e alegria. Ele conversa com todas as camadas da sociedade e possui um astral incrível. A Bianca Andrade é a nossa musa do ambiente digital, uma influencer empoderada. E sabemos a importância de uma pessoa assim nos dias de hoje", elogia Dil Melo, sócia da empresa que organiza o espaço.

Festas em dias sem desfile também são aposta e novidade para trazer receita

Além da quantidade de espaços, o que também cresceu em 2019 foi o número de dias de festa na Sapucaí.

Alguns camarotes, como o Allegria o Arpoador, decidiram abrir ao público também para a apuração e até na sexta-feira, dia 8, quando não há desfile nem qualquer atividade das escolas de samba.

"A gente percebeu que tinha demanda, mesmo sem os desfiles. A Marques de Sapucaí concentra uma energia muito incrível, assim como estar no Maracanã sem jogo. Continua emocionante. Todos acabam querendo ir naquele local e viver um pouco da experiência de estar ali, além de ser um pouco mais acessível. E o que pesou muito, foi homenagear o Dia Internacional da Mulher, que caí no mesmo dia", explicou André Barros, sócio do espaço.

Os camarotes no modelo tradicional tem cada vez menos espaço

Um dos poucos camarotes que mantém o modelo tradicional, fechado para convidados, é o que pertence à cervejaria Itaipava, que investiu nada menos do que R$ 18 milhões só em ações no Rio de Janeiro. Aline Riscado será a musa do espaço, que funciona no Grupo Especial e no desfile das Campeãs.

"Ter um camarote proprietário e exclusivo nos dá possibilidade de aumentar o envolvimento e a experiência com a marca. Somos uma marca vinculada ao jeito de ser e viver o verão brasileiro. O Carnaval é uma expressão disso. O camarote nos ajuda no sentido mais amplo de demonstrar o vínculo que temos com o Rio de Janeiro e a Sapucaí", acredita a gerente Eliana Cassandre.

Camarote Itaipava — Foto: Divulgação

Camarote Itaipava — Foto: Divulgação

É um dos poucos sobreviventes. O camarote de um supermercado carioca, que todo ano sorteava clientes para levar à Sapucaí, não funciona mais, saiu do carnaval carioca, devido a mudanças nas leis de incentivo. Até o tradicional Rio, Samba e Carnaval, que existia há mais de 40 anos, fechou suas portas, poucas semanas antes dos dias de folia. Para os que já haviam comprado convite, foram transferidos e  serão recebidos por um camarote estreante na Avenida, o Up Camarote.

Apesar dos preços ainda não serem tão democráticos assim - para bancar a noite de luxo e diversão é preciso desembolsar entre R$ 450 e R$ 7,8 mil -, devido à concorrência, muitos dos camarotes estão facilitando o pagamento e fechando parcerias.

Em sites de programas de fidelidade, por exemplo, passou a ser possível trocar pontos por ingressos ou resgatar um voucher de desconto de 20% para a compra de convites de vários camarotes. 

Comente com o facebook

Publicidade