Aumento do fundo eleitoral vai tirar verba da saúde e educação
Proposta que amplia fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões avança no Congresso
Proposta que amplia fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões avança no Congresso
Ricky Rocha Por Ricky Rocha 06/12/2019
    Compartilhe:

O Congresso deve dobrar o valor do fundo eleitoral proposto pelo governo de Jair Bolsonaro. O relator do projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020, deputado Domingos Neto (PSD-CE), finalizou a proposta nesta terça-feira, 3, e destinou R$ 3,8 bilhões de recursos públicos para gastos em campanhas eleitorais no ano que vem. O valor é R$ 1,8 bilhões superior à proposta encaminhada pelo governo, que foi de R$ 2 bilhões.

O aumento de aproximadamente 120% do montante desembolsado nas eleições do ano passado, quando os partidos receberam R$ 1,7 bilhão da União, foi objeto de acordo entre quase todos os partidos da Câmara dos Deputados. Apenas Cidadania, Novo, Rede, Podemos e PSOL se posicionaram contra o aumento. Reservadamente, líderes partidários afirmaram ao Estado que a proposta do governo era inviável.

A proposta do governo era de R$ 2 bilhões para financiar campanhas, mas a comissão do Congresso que trata do Orçamento aprovou ontem o relatório preliminar que aumenta para quase R$ 4 bilhões o fundo eleitoral de 2020. Para fechar a conta por causa do teto de gastos, será preciso tirar de outras áreas e o impacto social deve ser maior.

Comente com o facebook

Publicidade