Asteroide deve colidir com a terra
NASA planeia nave para destruir asteroide que pode colidir com a Terra em 2135
NASA planeia nave para destruir asteroide que pode colidir com a Terra em 2135

Créditos do fotógrafo pixabay

Redação Por Redação 11/03/2018
    Compartilhe:

Em 2135 há uma pequena probabilidade de um asteroide atingir a Terra. Por isso, os cientistas começaram a desenhar uma nave espacial que usa armas nucleares para rebentar com o corpo celeste.

Os cientistas da NASA desenvolveram um plano para “tratar” de um asteroide que tem 1 em 2.700 hipóteses de atingir a Terra a 21 de setembro de 2135. A solução? Desfazê-lo com armas nucleares.

O asteroide, conhecido como Bennu, está atualmente em órbita do Sol a cerca de 16 mil milhões de quilómetros da Terra e provavelmente nunca chegará a atingir a Terra, mas o Governo dos EUA quer estar preparado para todas as situações.

A NASA e dois laboratórios de armas do Departamento de Energia reuniram-se para projetar uma nave espacial que pode explodir Bennu caso este se chegue demasiadoperto do planeta Terra.

De acordo com o Buzzfeed News, a Missão de Mitigação de Asteroides a Hipervelocidades, Hammer, poderia usar uma de duas táticas para combater um impacto.

Se um asteroide é suficientemente pequeno, o HAMMER usaria um “impactor” de 8,8 toneladas para esmagar o objeto. Se o asteroide for muito grande, a nave espacial usa um dispositivo nuclear para o explodir.

O físico David Deadborn, do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, sugeriu que várias embarcações do HAMMER poderiam atirar-se para a frente do asteroide de forma a diminuí-lo e obrigá-lo a mudar de rumo.

A ideia do HAMMER surgiu de um relatório de 2010 publicado na revista Acta Astronautica sobre a defesa do nosso planeta a partir de objeto próximos da Terra. “As duas respostas realistas consideradas são o uso de uma nave espacial que funciona como um pêndulo cinético ou um transportador explosivo nuclear para desviar o objeto que se aproxima”, afirmava o relatório.

Infelizmente, a nave espacial nunca pôde ser construída e os cientistas da NASA recusaram-se a fornecer uma estimativa do custo do projeto. A recente missão OSIRIS-REx – já em direção a Bennu -, custou mais de 800 milhões de dólares (646 milhões de euros), pelo que o custo pode ser um sério impedimento à aprovação do HAMMER.

Os cientistas por trás do projeto vão apresentar o seu trabalho em maio de 2018 na oficina de disrupção Catastrófica no sistema Solar, no Japão.

Estar preparado, especialmente se os cientistas estão conscientes da probabilidade de uma colisão de asteroides, é imperativo, mas é improvável que este asteroide cause qualquer tipo de cenário do dia do juízo final semelhante ao do filme Armageddon.

Comente com o facebook

Publicidade